Atendimentos psicológicos, fonoaudiologia, psicopedagogia, nutrição, psicologia clínica, avalização neuropsicológica, avalização cognitiva em idosos, avaliação psicossocial NR 33 espaço confinado, avaliação psicossocial NR 35 trabalho em altura...atendimentos psicológicos jundiai, fonoaudiologia jundiai, psicopedagogia jundiai, nutrição jundiai, psicologia clínica jundiai, avalização neuropsicológica jundiai, avalização cognitiva em idosos jundiai, avaliação psicossocial NR 33 espaço confinado jundiai, avaliação psicossocial NR 35 trabalho em altura jundiai...itatiba, cajamar, caieras, atibaia, jordanésia, campinas, são paulo
Creating 3-Level Responsive Drop Down Navigation Menu with jQuery CSS3
Untitled Document
Avaliação Psicossocial como instrumento de apoio na prevenção de Riscos Laborais.




Estudos que remontam o inicio da Psicologia como investigação sobre o desenvolvimento do trabalho e as relações laborais dos trabalhadores indicam que quanto maior o envolvimento deste com aquele, maior o risco de acidentes e incidentes nos ambientes de execução das tarefas.

Neste sentido também a Engenharia de Segurança vem percebendo tanto com o reforço dos escopos teóricos quanto em função de uma práxis nos trabalhos realizados nas empresas onde o risco laboral é marcante em muitas das atividades, que há uma visível correlação entre degradação psicossocial e aumento nos índices de acidentes e incidentes nas tarefas executadas pelos trabalhadores. Há que se supor que quanto maior o grau de envolvimento e exigência na qualidade do trabalho, maior seja a cobrança para o cumprimento da tarefa ou ação de trabalho. Em casos onde já existe uma co-morbidade no sentido psicossocial do individuo, tanto maior será a sua exposição aos acidentes.

Trabalho apresentado pela Psicóloga Rita T.C. Erbs e a Enfermeira Adriana P. Belle realizada junto a Abiquim, procurou demonstrar a relação entre o fator psicossocial e incidência dos riscos laborais. Há que citar que em muitos casos o fator psicológico foi o determinante para o afastamento das atividades laborais segundo a ação da pesquisa. O que vale ressaltar que em média, a recuperação de uma lesão em um braço ou punho por trincamento ou quebra pode variar até no máximo sessenta dias sendo respeitada as avaliações e critérios do médico responsável; no entanto nos casos do desenvolvimento de síndromes de pânico, de burnout ou mesmo depressões, este prazo pode e geralmente são dilatados, podendo sofrer variações em sua disposição de prazo de afastamento segundo critérios dos profissionais da saúde envolvidos na avaliação do trabalhador.

Esta pequena introdução serviu apenas para reforçar o que em prática já venho fazendo de maneira profilática na área de Psicologia, atuando como investigador dos possíveis fatores psicossociais envolvidos no risco laboral dos trabalhadores das empresas para as quais presto serviço de Avaliação Psicológica para efeito de admissão, mudança de função, avaliação periódica e demissional. Também é aplicada esta avaliação nos casos de retorno ao trabalho.

Todas as avaliações tem como propósito subsidiar através de laudos Psicológicos o departamento de Gestão de Pessoas destas empresas fornecendo informações que servem inclusive diretamente às ações área de Segurança no Trabalho propondo melhorias nos processos de intervenção preventiva.

Estas avaliações além de fornecer informações com a elaboração dos laudos através de orientações a estes departamentos, também quando realizadas sistematicamente, consegue estabelecer indicadores quando comparados a trajetória do colaborador nas organizações, uma vez que procura mensurar tanto quantitativamente quanto qualitativamente fatores como nível de fadiga, tendência ao estresse, nível de dependência química com álcool e drogas, nível de tensão, tendência à depressão entre outras.

O trabalho realizado hoje em algumas empresas tiveram sua origem na observação de campo de uma empresa de Segurança no Trabalho, a partir do Engenheiro de Segurança responsável indicando para satisfação as NR7 e para complementar a PCMSO da empresa em que desenvolvia à época a finalização de implantação da I S O 18000 OSHAS. Desta proposição foi solicitado um estudo e na sequência a implantação do que hoje chamamos de PSP – Programa de Saúde em Psicologia que se pauta na realização das Avaliações Psicológicas admissionais, demissionais, periódicas, alteração de função e retorno ao trabalho.

Também está contemplada no programa PSP o atendimento aos colaboradores que sofrem algum tipo de acidente ou incidente que impliquem qualquer tipo de envolvimento, seja de risco físico ou emocional, o que denominamos de Plantão Psicológico.

O Plantão Psicológico tem o objetivo de minimizar os sofrimentos emocionais oriundos do estresse no trabalho e de alguma ordem psicossocial. Também funciona como suporte em casos de acometimentos de ordem funcional no esquema psíquico do colaborador surgido em seu universo particular que possa estar envolvendo diretamente em sua produtividade e consequência a isto aumentando o seu risco laboral.

O Programa PSP já está em desenvolvimento a mais de seis anos em empresas da região de Jundiaí e vem sendo aceito como mais uma ferramenta de apoio à área de Segurança no Trabalho.

Como ação profilática a área de Segurança de Trabalho poderá desenvolver instrumentos de avaliação Psicossocial tais como entrevistas dirigidas, formulários de acompanhamento social e familiar para reconhecimento do escopo doméstico do colaborador e em conjunto com o departamento de Gestão de Pessoas realizar o levantamento dos fatores envolvidos no cotidiano de saúde deste trabalhador. Quando necessário inserir parcerias com empresas que possam realizar as Avaliações Psicológicas nos colaboradores pre-determinando o perfil de competências da empresa para cada cargo/função, os fatores de riscos que deseja seja investigado e avaliado.

 

S. Guilherme Dias

Psicólogo e Diretor do Centro de Estudos e Atendimentos Psicológicos CC. G. Jung Ltda

E-mail: guilherme.dias@ceapcg.com.br

Site: www.ceapcg.com.br