Atendimentos psicológicos, fonoaudiologia, psicopedagogia, nutrição, psicologia clínica, avalização neuropsicológica, avalização cognitiva em idosos, avaliação psicossocial NR 33 espaço confinado, avaliação psicossocial NR 35 trabalho em altura...atendimentos psicológicos jundiai, fonoaudiologia jundiai, psicopedagogia jundiai, nutrição jundiai, psicologia clínica jundiai, avalização neuropsicológica jundiai, avalização cognitiva em idosos jundiai, avaliação psicossocial NR 33 espaço confinado jundiai, avaliação psicossocial NR 35 trabalho em altura jundiai...itatiba, cajamar, caieras, atibaia, jordanésia, campinas, são paulo
Creating 3-Level Responsive Drop Down Navigation Menu with jQuery CSS3
Untitled Document
A Importância da Educação Alimentar




Muitos nos questionam o por que realizar uma Reeducação Alimentar. As maiorias dos pacientes procuram aos Nutricionistas com esse objetivo, porém somente e infelizmente quando já estão envolvidos em maus hábitos alimentares, doenças crônicas e/ou ao excesso de peso.

O papel do profissional Nutricionista está relacionado ao tratamento, melhora e mudança de hábitos alimentares que são necessários por estar ligados a sintomas ou diagnósticos de doenças crônicas não trasmissíveis, ou de fatores de risco como ganho de peso excessivo, estresse, sedentarismo etc, mas além de trabalhar com o tratamento também enfatizamos sempre a prevenção de todos esses problemas.

A Educação Alimentar veio como uma forma de previnir o desenvolvimento de maus hábitos e doenças crônicas. Antigamente nas escolas não existia uma matéria que pudesse agregar esse assunto tão importante assim como existem em algumas escolas hoje, principalmente pelo fato das crianças, em redes públicas por exemplo, realizarem suas refeições no período escolar.

A obesidade é um dos fatores de risco para doenças crônicas não trasmissíveis e surge a partir da má alimentação, sedentarismo, ansiedade, estresse etc. É também um dos maiores problemas e desafio da saúde pública do século 21. O problema afeta diversos países e se torna mais grave quando se fala de obesidade infantil. No Brasil, 1 a cada 3 crianças sofre com esta doença segundo o Ministério da Saúde e este número tende a crescer ainda mais. A Educação, enfatizando a prevenção, e a Reeducação Alimentar são as armas mais poderosas para que esse número possa cair ao passar do tempo.

Com isso, perceberemos grande melhora quanto a alimentação das crianças, que hoje em dia crescem; se desenvolvem; aprendem com muito mais facilidade e rapidez que antigamente, além de estarem mais próximas de alimentos industrializados.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, nos últimos anos, ao mesmo tempo em que o consumo global de alimentos altamente calóricos e gordurosos cresceu, houve uma queda na atividade física entre crianças e adultos, fazendo com que essas estatísticas atuais nos assustem.

Se focarmos na estratégia da Educação alimentar com as crianças, enfatizando a importância da alimentação saudável nas escolas, introduzir matérias sobre nutrição, oferecer merenda escolar balanceada e nutritiva, as mesmas poderão levar esses bons hábitos aos pais, familiares e próximos.

Portanto a prevenção é a melhor solução para o grave problema que nos afeta no século 21, a obesidade infantil e adulta. Deve-se então, focar na educação e reeducação alimentar para todos: crianças, adultos e idosos, trabalhando com prevenção, melhora e tratamento dessas doenças crônicas e dos fatores de risco. É aí que nós Nutricionistas podemos ajudar na melhora dessas estatísticas negativas do Brasil e do mundo.

  

Bianca Kitadani Tanaka

Nutricionista

CRN3 35978